Dicas para ser uma mãe mais divertida

Mae
 

MaeVocê, às vezes, não se sente uma verdadeira general dentro de casa. Filho faz isso, filha faz aquilo, crianças não não não façam nada!! Às vezes me sinto uma chata por não deixar meus filhos fazerem nada de “errado”. E um dia, pensando sobre esse meu comportamento com as crianças fui procurar algo que falasse sobre mães divertidas, e li algo muito interessante que, somado à minha experiência, consegui chegar à conclusão de como ser uma mãe mais divertida.

Normalmente, os papais é que levam a fama de divertidos por não se importarem muito com horários e tarefas. Com eles está tudo bem comer um doce antes do jantar, sair de casa descalço para brincar ou tomar gelado mesmo estando gripado.

Eu sei que para as crianças, poderem fazer esse tipo de coisa é muito divertido, e para mim isso também parece ser bem legal. Mas prefiro ser prática e seguir horários como o almoço servido ao meio-dia e meio, o lanche da tarde entre 3 e 4 horas, o banho antes do jantar, os doces depois das refeições… Enfim, seguir uma rotina de horários todos os dias. E isso não aparenta ser muito divertido, realmente. Foi por isso que resolvi tentar mudar para ser uma mãe mais “descolada” e menos chata.

Como ser uma mãe divertida? Aqui vão algumas dicas de coisas que podemos fazer:

Regra número 1 para ser uma mãe mais divertida – Passe mais tempo com as crianças. Isso fará com que você seja a mãe mais divertida do mundo.

E aí…

Abaixe a guarda – RELAXA!

Pare de se preocupar se você está agindo como uma idiota, falando como uma boba, ou sendo perfeita. Eles são nossos filhos e não nos julgam dessa forma, eles só querem que a gente os ame e passe mais tempo ao lado deles. Viver a vida controlada, não é realmente viver a vida!

Use suas qualidade – SEJA VOCE!

Use seus talentos e habilidades para se divertir com seus filhos. Você pode, por exemplo, fazer um bom aviãozinho de dobradura, ou apostar uma corrida nos carrinhos de supermercado, ou qualquer outra coisa que possa parecer bobo, mas que com certeza eles irão amar. Minha filha ama quando sento para desenhar e pintar com ela. Às vezes eu desenho e ela pinta, outras vezes nós duas compramos um livro para pintar juntas. Os meus dois filhos também se divertem muito quando os levo para pular na cama elástica e pulo junto com eles. E para falar a verdade, eu também me divirto muito!!! Tem momentos que chego a olhar ao redor pra ver se tem alguém observando de tanto que me divirto com eles. Me sinto uma criança novamente. E nessas horas eles realmente me acham uma mãe muito divertida!

Você não tem que fazer o que as outra mães estão fazendo com seus filhos. Nós não devemos ser aquilo que não somos. Quais são os seus talentos? O que você gosta ou gastava de fazer? O que você faz realmente bem?? Use suas habilidades à seu favor!

Não se sinta culpada se existe algo que seus filhos gostariam que você fizesse mas que você não se sente confortável em fazer. Por exemplo, se você não gosta de mudar sua voz para imitar a voz de uma boneca durante uma brincadeira com sua filha, simplesmente não faça. Use a sua voz mesmo e tenho certeza que a brincadeira será divertida da mesma forma.

Use seus talentos, mesmo que isso pareça bobo e patético.

Seja Espontânea – QUEBRE AS REGRAS

Faça alguma coisa fora da rotina. Dê doces depois de escovarem os dentes, deixe-os assistir um filme até mais tarde, faça um passeio surpresa e fora de hora até o parque, deixe-os comer a sobremesa antes do jantar, deixe-os pular no sofá. Diga sim quando você normalmente diria não. Tudo bem fazer isso de vez em quando. Confesso que essa é a parte mais difícil pra mim. Tem dias que consigo, mas na maioria das vezes o “não” sai da minha boca quando eu menos espero. 🙂

O que você pode fazer de inesperado hoje?

Acompanhe

Assista o que seus filhos estão fazendo e os acompanhe. Brinque de casinha, pintar, balançar, de pega-pega ao redor da casa. Siga o exemplo deles, e não só as crianças te acharão divertida, como você realmente se divertirá. Se eles estiverem agindo de forma engraçada, aja da mesma forma. Às vezes nós nos preocupamos sobre o que vamos fazer com nossos filhos. Mas não se preocupe, eles se encarregam desse assunto por nós.

Às vezes as crianças inventam algumas brincadeiras que para nós não faz o menor sentido, mas eles se divertem muito com brincadeirinhas bobas. Quando você os ver tendo um desses momentos de brincadeira sem sentido, aproveite para entrar no meio e dar boas risadas. As crianças vão se divertir ainda mais e sem dúvida te acharão a rainha das mães divertidas.

Ligue o som – DANCE

Quer ser ainda mais divertida? Mova-se, dance, chacoalhe, requebre. Diferente dos nossos amigos do colegial, crianças não nos julgam pela forma que dançamos. Eles nem se importam.

Tenha uma meta nessa jornada materna de dançar todos os dias com pelo menos um dos seus filhos. Não importa a idade. Simplesmente dance com eles. Ligue o som e dancem juntos na sala, no quarto, na frente do espelho. Será uma experiência inigualável para você e para as crianças, com certeza.

Quando foi a última vez que você dançou com seus filhos?

Não faça mais de uma coisa ao mesmo tempo

Se você quer ser uma mãe mais divertida ainda pare de querer fazer mais de uma coisa ao mesmo tempo. As crianças ficam frustradas quando fazemos o jantar, checamos o Facebook ou passamos roupa enquanto estamos tendo nosso tempo com eles. De repente, parece que nossos filhos estão nos impedindo de fazer o que estamos tentando fazer e nós não aproveitamos nosso tempo juntos. Isso não é divertido. Uma coisa de cada vez.

Diga “sim”

Como mães nós dizemos a palavra “não” muitas e muitas vezes. Isso não nos torna divertidas. O “não” é necessário, mas devemos tentar dizer “sim” o máximo que pudermos. Como já disse, essa é a parte mais difícil para mim! “Mamãe, posso comer outro bombom?” Eu quero dizer não. Ela não precisa disso, ela já comeu um, não é necessário comer outro. MAS…vai realmente fazer mal se ela comer 2 bombons de vez em quando? Tenho certeza que não.

Para o que você pode dizer “sim” hoje?

Dê risada

Rir é o melhor remédio. Você quer que seus filhos achem você realmente divertida? Ria com eles. Você tem dificuldade para rir? Coloque um sorriso no rosto para começar. Você vai se divertir mais se estiver sorrindo, e depois você dará boas risadas.

Muitas vezes eu tenho o pensamento “Como posso me divertir com as crianças com tantas coisas que deveriam estar sendo feitas e não estão?” Nada poderia estar mais longe da verdade. Quanto mais eu me divirto com meu filhos, mas as coisas são feitas, me sinto melhor e eles também, com certeza. E…Meus filhos ficam mais propensos a me ajudarem voluntariamente, o que evita muitas discussões por aqui.

Agora, vamos todas ser mães divertidas!!!

Você é uma mãe divertida? O que você faz? Qual é seu talento secreto??

Espero que tenham gostado dessa dicas mamães.. E se você gostou desse post dá um “curtir” e compartilhe com seus amigos 🙂

Fiquem com Deus e até a próxima!

Xoxo 😉

Acidentes Domésticos (com um final triste)

Slide1
 

Olá meninas,

O post de hoje é um alerta para todas as pessoas que tem crianças em casa, e que tem a responsabilidade de cuidar delas. Vou começar contando uma história muito triste me mexeu demais comigo, com os meus sentimentos, que me fez chorar e pensar muito sobre o assunto. Há algum tempo comecei a seguir uma moça no Instagram, o nome dela é Paula Miranda e pode ser encontrada no Instagram como @planetapaulaa. Ela está em busca de uma boa forma física e para isso ela tem uma alimentação saudável e pratica muito exercício, e ela compartilha no IG e no blog (www.planetapaula.wordpress.com) tudo sobre boa alimentação e exercícios para definição do corpo. Além disse ela é também maquiadora, mãe e esposa, como muitas de nós. Aparentemente a vida dela é perfeita, mas acompanhando o blog dela descobri que nem todas as coisas são como parecem ser. Vocês vão entender o porque depois de lerem o depoimento dela mesma contando um pouco da tragédia que aconteceu na vida dela. O depoimento foi tirado do blog dela e pode ser lido Aqui também ↓

“Me mudei para os EUA com meu filho único Igor de 3 anos e 10 meses por conta da profissão do meu marido, ele é lutador de MMA, lá o sonho parecia mais perto. Vendemos tudo que tínhamos aqui, tudo mesmo, fomos embora com duas malas e um sonho… Não tínhamos um local para morar definitivo assim que chegamos, pois as coisas se ajeitam aos poucos em situações como essa, então, ficamos hospedados na casa do dono da academia onde meu marido treinava diariamente, família com dois filhos, um de 12 e um de 10 anos, para o Igor foi a glória, ele convivia com os meninos e aprendia rápido, já soltava umas frases em inglês rsrsrsr… Claro que passávamos por dificuldades, mas tínhamos um ao outro. Desde que me casei com Vitor, decidi buscar esse sonho ao seu lado e foi isso que fizemos e fazemos até hoje…

Na manhã do dia 20 de junho de 2011, acordei cedo e fui correr, quando voltei meus amores ainda dormiam, preparei o café da manhã deles, passamos a manhã juntos, almoçamos e assistimos um filme os três, grudadinhos no sofá! Nessa época eu havia acabado de criar esse Blog, de lá, vendia maquiagens para as brasileiras, uma forma de tentar ajudar na renda já que não trabalhava ainda. Assim que o filme acabou, Vitor, meu marido, se ajeitou para o treino, isso eram 15:00, se despediu e partiu, mas antes, ele deixou 5 biscoitos para o Igor, que comeu ao meu lado no sofá… Só que nós não dormíamos na casa principal, lá, apenas usávamos a cozinha e a sala, dormíamos na casa da piscina, como uma peça com quarto e banheiro fora da casa, lá era nosso canto, dormíamos os 3 no chão. Assim que Igor acabou de comer os biscoitos que papai deixou, ele pediu mais e essas guloseimas (dele no caso) ficavam guardadas no quarto de fora, onde dormíamos… Ele me pediu:  ”posso buscar mais biscoitos?” eu respondi que sim, mas que viesse rápido…

Foi a última vez que vi meu filho com vida…

Dei falta dele uns 5 ou 6 minutos depois… Em um sobressalto, pulei do sofá e disse mentalmente: “a piscina!’ Mas já era tarde…. Da porta onde eu avistava a piscina, não pude ver o corpo dele lá dentro, mas vi seu par de chinelos boiando e tinha a certeza que ele estava lá… Não pensei, apenas pulei… Eu não sei nadar, mas me joguei dentro daquela água e quando abri os olhos, vi meu filho de bruços já no fundo… Em milésimos de segundo pensei: “isso é bom, se está no fundo acabou de cair, posso salvá-lo” puxei ele com todas as minhas forças para fora da piscina e quando olhei para ele só conseguia gritar a DEUS “não, não, não, meu filho não!!” Ele estava azul… Com os olhos semi cerrados e sem nenhuma reação… Em uma tentativa desesperada de salvar meu filho, apliquei as massagens cardíacas e a respiração boca a boca, tudo isso ao mesmo tempo que ligava para meu marido aos gritos… Gritos esses que jamais consigo esquecer o som, o som da minha própria voz… No mesmo instante Vitor acionou o 911 e eu continuei ali, de joelhos, sozinha em cima daquele que era tudo que eu tinha na vida, meu único e precioso filho, tentando com todas as minhas forças fazer ele ter uma reação que fosse… Sem sucesso, peguei ele no colo e saí pelas ruas do condomínio gritando por ajuda, foi quando um casal parou e aplicou as mesmas tentativas que eu já havia feito, nesse momento a ambulância chega e imediatamente eles constatam a gravidade e aplicam choques sobre o pequeno peito dele… Sem sucesso… Como uma tentativa de último recurso, aplicam uma injeção de adrenalina em seu pequeno coração e conseguem poucos batimentos… Nesse momento Vitor chega e eu jamais vou esquecer a cena do meu marido de joelhos no asfalto chorando e dizendo “nosso filho não, nosso filho não”.

Ali começou uma saga de 4 dias…

Igor foi levado para o melhor hospital de Boca Raton, teve acesso aos melhores especialistas, exames, recursos que vocês possam imaginar. Durante esses 4 dias a comunidade brasileira da cidade se comoveu e passamos a receber mensagens e visitas de pessoas que nunca havíamos visto, enquanto isso, pelo facebook (única forma de comunicação com nossos familiares) acontecia a maior corrente de orações que já presenciei…  Mas não somos nós que decidimos nada, na verdade, não somos nada… Na noite do dia 23, as 3:00 da manhã, eu fui até a UTI e segurei a mão dele ainda quente e disse: “meu filho, eu e papai vamos sofrer muito sem você aqui, mas se você precisa partir, vá…” Fiz isso porque queria meu filho perfeito e feliz, livre e sabia que naquela vestimenta carnal isso não seria mais possível… Na manhã do dia 24/06/2011 dia em que ele faria 4 anos, ele partiu…

O que ele nos deixou? Ah… tantas lições, tanto amor, tanta força, tanta paz…

Enterrei meu filho lá, pois na época era inviável trazê-lo para o Brasil e assim foi feito… Eu vi meu filho pela última vez dentro de um caixão branco, uma cena que jamais sai dos meus pensamentos…

Os meses que se seguiram foram de anestesia para nós e nossa família e a pior sensação que tive foi  desembarcar no Brasil com as mesmas malas, mas sem o que levei de mais precioso… Meu filho…

Hoje completam 2 anos e 3 meses que tudo isso aconteceu, eu tive a Nina, nosso renascimento, nossa alegria e vida! Hoje eu sorrio novamente, voltei a viver, mas posso dizer que não existe um dia em minha vida que toda essa cena não passe como um filme para mim… Eu choro escondida, eu não demonstro minha dor, porque eu decidi viver a minha vida, da melhor maneira possível, mas sem jamais deixar a memória dele partir, por isso eu escrevo, por isso desabafo com vocês, porque essa é minha história, minha vida, muito viva aqui dentro!

Eu falo do Igor como se ele estivesse aqui, quando vejo algo que sei que ele iria gostar, quando vejo um garoto parecido com ele, quando passo pelo biscoito na gôndola do supermercado, mas ninguém vê isso, só eu e meus pensamentos…

Ao passar por uma experiência dessa você é transformada para sempre e de uma forma brutal! O mundo passa a ter outro sentido e a vida muda para sempre… Eu sei que estarei velhinha chorando de saudade, porque para uma mãe, o tempo não passa…

Minha dor não é maior que todas, eu não sou melhor que ninguém, essa é apenas a minha história!”  Por Paula Miranda

Esse post foi escrito no dia 24 de Setembro de 2013 e fico arrepiada cada vez que leio. E tenho certeza que todas as mamães sentiram a mesma tristeza que senti ao terminar de ler essa história. As palavras da Paula nesse desabafo mexeram tanto comigo que no dia em que li mau consegui dormir de tão triste e chocada que fiquei. Em um primeiro momento pensei: Ufa… Ainda bem que não tenho piscina em casa!!! Mas por outro lado, comecei a pensar que piscina é apenas mais um lugar que pode ser um perigo para nossos pequenos, pois temos tanto outros dentro de casa e nem nos damos conta. E foi aí que comecei a pensar em tudo o que pode provocar um acidente doméstico podendo até tirar a vida dos nossos filhos e fiz uma pesquisa para saber mais sobre o assunto. E olhem só os dados estatísticos de acidentes domésticos e quantos perigos encontrei dentro da nossa casa:

Todos os anos, mais de 1 milhão de crianças menores de 15 anos são levadas para a emergência dos hospitais após sofrerem algum tipo de acidente doméstico. Fora os que são tratados em casa ou pelos seus pediatras.

Lesões acidentais são a maior causa de morte de crianças acima de 1 ano de idade. Crianças menores de 5 anos correm mais risco de sofrerem acidentes dentro de casa, e meninos são mais propícios a sofrerem esses acidentes do que as meninas.

Os acidentes mais severos que podem ocorrer com as crianças são: quedas de lugares como cadeiras, sofá, cama, e escadas (esse é um dos acidentes mais perigosos pois pode deixar sequelas ou até mesmo levar a morte), queimaduras com fogo ou água quente, aspiração pela boca ou nariz de pequenos objetos como brinquedos, grãos, isopor, espuma ou qualquer outra coisa que possa impedir a respiração da criança, engolir objetos perigosos como baterias de relógio, imãs, remédios e produtos químicos. Além desses, existem muitos outros perigos escondidos dentro de casa.

Os lugares onde mais ocorrem esse tipo de acidente são cozinha e banheiro. E são, sem dúvida, os mais prejudiciais também, pois na cozinha encontra-se objetos cortantes, panelas quentes e algumas vezes até mesmo produtos de limpeza e remédios que também podem ser encontrados nos banheiros. Para evitarmos acidentes domésticos entre as crianças, algumas medidas devem ser tomadas:

  • Coloque portões de proteção nas escadas
  • Trave todas as portas de armário que possam conter algum produto de limpeza ou substância química
  • Nunca segure comida/bebida quente e a criança no colo ao mesmo tempo
  • Sempre cheque a temperatura dos alimentos e das bebidas que está servindo para as crianças
  • Deixe facas, tesouras, fósforos e isqueiros em lugares seguros onde as crianças não possam alcançar
  • Evite colocar sofás embaixo de janelas
  • Use telas de segurança nas janelas e sacadas (lembre-se de checar regularmente as condições da tela, e se houver algum dano troque-a imediatamente)
  • Feche as tomadas inutilizadas da casa com protetores
  • Mantenha sempre o chão livre de brinquedos ou qualquer outro objeto que possamos tropeçar ou escorregar
  • Mantenha o chão seco
  • Nunca coloque o bebê para dormir em uma cama sem proteção, mesmo que ele ainda não se vire sozinho
  • Guarde remédios em suas embalagens originais e em lugares seguros, onde as crianças não possam alcançar
  • Nunca diga à criança que remédio é “doce”
  • Não deixe de cuidar dos seus filhos por nenhum momento. Esteja sempre observando o que eles estão fazendo, onde estão brincando, o que estão comendo, onde estão mexendo. Esse é a melhor e mais segura forma de manter seus filhos longe dos acidentes  domésticos.

Caso algum acidente ocorra com um dos seus filhos, não entre em pânico. Com calma cheque a lesão ou remova imediatamente a causa de um engasgamento ou asfixia. Se necessário peça ajuda ou chame uma ambulância. Em caso de desmaios ou se a criança não estiver respirando ligue para o serviço de emergência imediatamente.

Os acidentes aqui listados são os mais comuns, mas muitos outros podem ocorrer dentro de casa, por isso previna-se dos acidentes tornando sua casa um lugar seguro e estando sempre perto dos seus filhos.

Pois é mamães, o perigo está tão perto de nós e muitas vezes não conseguimos enxergar. A Paula não foi irresponsável ao permitir que seu filho fosse na casa da piscina sozinho, ela, assim como a maioria de nós, não enxergou aquela piscina como um perigo, assim como não enxergamos tantas coisas dentro da nossa casa como uma fonte de acidente e não nos preocupamos e dar a devida atenção quando as crianças estão por perto. O que aconteceu com o Igor foi uma fatalidade, infelizmente ele não sobreviveu ao acidente. Os acidentes podem acontecer em qualquer lugar e devemos estar atentas!!

Espero que esse post com a história da Paula e com as dicas para se evitar os acidentes domésticos tenham mexido com todas as mamães e aberto seus olhos para os perigos que temos dentro de casa!!!

Paula, obrigada por permitir o blog Virtude & Formosura divulgar sua história e compartilhar da sua dor!!! Que Deus abençoe você e sua família te dando cada dia mais forças para superar tudo isso!!!

Fiquem com Deus e até a próxima!

Xoxo 😉

 

 

Beijo no Ouvido: Beijo da Surdez

beijo
 

Qual o único lugar que você nunca deve beijar um bebê ou qualquer outra pessoas?? Os ouvidos.

Um beijo inocente direto na abertura do ouvido cria uma forte sucção que puxa o delicado tímpano, resultando em uma condição recentemente reconhecida como “cochlear ear-kiss injury”, ou seja, lesão na cocléa do ouvido causada por um beijo. Esse beijo pode não só conduzir a perda permanente de audição, mas uma série de outros sintomas preocupantes no ouvido como sensibilidade ao som, ao toque, distorção e plenitude aural.

O Dr. Levi Reiter da Universidade Hofstra, localizada em Nova York, nos Estados Unidos, vem estudando o fenômeno e identificou mais de 30 vítimas do beijo no ouvido até agora. Ele está se preparando para apresentar suas descobertas mais recentes no Jornal Internacional de Audiologia e na Revista Internacional de Otorrinolaringologia Pediátrica. Ele descobriu que os pacientes de beijo no ouvindo apresentam um padrão característico de perda auditiva, Reiter disse que, a audição diminui na faixa de frequência de consoantes mudas como o “ch” e o “sh”.

Sabe-se que a perda auditiva pode ser causada por um sopro no ouvido, um ruído forte (como a explosão de fogos de artifício) em um dos lados da cabeça, ou uma haste flexível empurrada longe demais dentro do ouvido, e agora pode-se adicionar o beijinho no ouvido à essa lista. Dr. Reiter afirma que “o beijo da surdez” pode ser a causa da perda auditiva unilateral atualmente desconhecida em crianças.

Bebês e crianças pequenas são especialmente vulneráveis a danos auditivos através do beijo, simplesmente porque seus canais auditivos são menores. Um bebê vai chorar depois de tantos beijos dolorosos, ele diz, mas “as crianças choram por uma série de razões”. Infelizmente, a perda auditiva não é identificada antes da idade escolar da criança, quando ela pode ser notada.

Atualmente não há tratamento ou cura para “o beijo da surdez”, por isso certifique-se de que seus beijos nos seus filhos fiquem bem longe dos ouvidos.

fonte: blog.everhear.com

Meninas, cuidado com os beijinhos no seu filho e não façam essa brincadeira de beijar o ouvido em quem quer que seja!!

Fiquem com Deus e até a próxima!

Xoxo 😉

Os benefícios da natação para crianças e bebês

bebe nadando
 

Meninas, não sei se já comentei com vocês, mas meus filhos fazem natação desde os 6 meses de idade. Atualmente eles fazem toda sexta-feira e para mim esse é o dia mais louco da semana, vocês já devem ter percebido que muitas vezes meus posts falham na sexta… É por falta de tempo mesmo, porque o Davi tem natação de manhã e eu preciso entrar na água com ele e à tarde é a vez da Giulia! Com ela não preciso mais entrar. Ela já fica sozinha na piscina! Mas se tem uma coisa que tenho certeza que acertei com eles, foi na natação. Os dois amam e esperam ansiosamente pela sexta-feira. E foi por isso que resolvi trazer pra vocês um post contando os benefícios da natação paras as crianças e bebês. Se você é mamãe e tem dúvidas com relação à natação para seu filho, saiba agora o porque você deve colocá-lo nessa aula ↓

A natação é reconhecida como um dos esportes mais benéficos para a saúde, mas ensinar o seu filho a nadar pode ser difícil, principalmente se ele se sentir desconfortável na água.

Uma forma de evitar que isso aconteça é introduzindo-os na água o mais cedo possível, eles podem começar a ter aulas de natação com a ajuda dos pais logo nos primeiros meses de vida.

Ainda beseado em estudos da natação para bebês, fisioterapeutas concluíram que “o melhor é esperar até que o bebê complete quatro meses, pois aí seu sistema imunológico já terá se desenvolvido completamente, e a possibilidade do bebê adquirir uma gripe ou uma infecção como otite, por exemplo, fica significantemente reduzida .”

Os bebês são muito pequenos e ainda não tem sua capacidade física totalmente desenvolvida, por isso é impossível ensiná-los a nadar como um adulto.

O estudo ainda revela que “um bebê nessa idade é ainda impossibilitado de fazer todos os exercícios do programa, porém, eles são capazes de aprender muito mais rápido.”

Uma aula de natação que relaciona pai-bebê pode ser muito proveitosa para ambos, e ainda permite que o bebê aprenda a relaxar e divertir-se enquanto aumentam seu senso de segurança e independência na água.

Muitos bebês podem nadar antes mesmo de começarem a caminhar. O progresso na natação melhora a coordenação, força, resistência e capacidade pulmonar do bebê.

Benefícios

Muitos estudos têm demonstrado que ” bebês que praticaram a natação durante seus dois primeiros anos de vida desenvolveram um senso maior de aprendizado, e portanto, já estão aprendendo a serem mais criativos e atentos.”

Além disso, as experiências na água permitem que os pequenos desenvolvam melhor suas habilidades psicomotoras, porque lá eles podem circular mais livremente e começar a entender os conceitos de distância e movimento.

O estudo ainda mostra que o efeito estimulante da criança/bebê nas aulas de natação tem o potencial para aumentar a inteligência, vigilância, a concentração e habilidades de percepção. Melhoria no desenvolvimento social, emocional e físico também foi constatado. Essas melhorias foram observadas especialmente em crianças que iniciaram aulas antes de completarem 12 meses de idade, mas nunca é tarde demais para receber esses benefícios exclusivos da natação. Esses bebês, eventualmente, tornam-se extremamente calmos e relaxados na água.

Vá devagar, divirta-se, aproveite a jornada, percorra a distância – o aprendizado é para a vida toda!

Com tantas coisas boas que a natação pode proporcionar às crianças, você está esperando o que para colocar se filho para nadar???

Espero que tenham gostado de saber mais essa informação meninas.

Fiquem com Deus e até a próxima!

Xoxo 😉

31 Maneiras de Orar pelos Nossos Filhos!

Oração
 

Bom dia virtuosas,

Certa vez, li uma reportagem em uma revista cristã e achei super interessante. A notícia contava a história de um pai de famíliacristão, que dizia que ele sempre orou pelos seus filhos, mas sempre da mesma forma, usando as mesmas palavras. Mas que ele já estava cansado de sempre fazer a mesma oração e que ele queria mais, queria se aprofundar mais nas suas orações referentes aos filhos, pedindo para Deus abençoar cada área da vida deles especificamente. Foi quando a esposa do pastor da igreja dele elaborou uma planilha de oração para que os pais pudessem fazer para seus filhos, fazendo com que, dessa forma, nós, pais, possamos orar e pedir para que Deus prospere em todos os campos da vida dos nossos filhos. A planilha contém 31 orações para serem feitas durante 1 mês, e nos meses mais curtos uma combinação de orações pode ser feita para que todas elas sejam feitas com a mesma frequência!! Eu amei a idéia e por isso resolvi traduzir e compartilhar a planilha com vocês ↓ No final desse post, você encontra um link com a versão da planilha para imprimir!!

Slide01

Slide02

Slide03

Slide04

Slide05

Slide06

Slide07

Slide08

Slide09

Slide10

Slide11_Fotor

A versão da planilha para imprimir você encontra aqui: 31-Oracoes-para-Imprimir-1

Espero que tenham gostado meninas!!

Fiquem com Deus e até a próxima!

Xoxo 😉