Bullying

cyber-bullying-6
 

cyber-bullying-6

O assunto que vou falar hoje é muito sério e bastante preocupante. Vou falar sobre o bullying.

Ontem fui na feira do livro que estava acontecendo na escola da minha filha e encontrei uma conhecida que há muito tempo não via. Começamos a conversar e ela me contou algo que me deixou preocupada e me fez ficar alerta para o assunto. O filho dela, um adolescente de 12 anos, teve problemas na escola em que estudava o ano passado. Uma garota que supostamente era apaixonada por ele começou a mandar torpedos no celular dele com mensagens de amor, e como ele não deu muita bola para a menina, ela então mudou de tática e começou a agredí-lo com palavras torpes e xingamentos nesses torpedos. Escrevia coisas nas mensagens que mexiam com auto-estima do garoto, falava do físico dele como se ele tivesse um problema, o que na verdade não era pois ele é um garoto com um fisíco normal, sem nada que chame muita a atenção ou que possa ser considerado um defeito. Mas essas mensagens começaram a mexer com os sentimentos dele, e isso desencadeou uma alteração no temperamento dele tornando-o uma pessoa nervosa. E, sua mãe, percebendo que algo não estava bem com seu filho, resolveu investigar o que estava acontecendo e descobriu que ele estava sofrendo bullying virtual, ou seja, por torpedos no celular. Final da história: a mãe foi aconselhada pela diretora da escola que o garoto fizesse terapia familiar para controlar o nervosismo que ele desenvolveu por conta do bullying, e ele tem feito até hoje. Ela disse que ele está melhorando, mas que ainda tem auto-estima muito baixa. A diretora a aconselhou também à fazer um B.O. contra a meninas, afinal, bullying é crime, mas ela preferiu não levar essa história até as últimas consequências para poupar o filho dela que poderia ficar ainda mais constrangido de ter que ir à polícia contar todas as coisas que ela havia chamado ele pelos torpedos.

E o que me preocupou nessa história toda foi que ele nunca contou nada para a mãe dele. Sofreu calado o tempo todo. Além disso, no caso dele foi um bullying pessoal, vamos dizer assim. Apenas entre ele e a garota. Mas,  e se ela tivesse feito essa agressão pelas redes sociais ou verbalmente, dentro da escola e na frente dos amigos dele?? O trauma poderia ter sido muito maior, e o que me preocupa é que esse tipo de crime tem sido cada dia mais frequente. Os adolescentes tem usado cada vez mais as redes sociais para agredirem seus colegas, pessoas que às vezes tem realmente um problema físico e que na maioria das vezes já são traumatizados com isso. E fico pensando: o que leva um ser humano a debochar de outra pessoa?? Qual a graça que isso pode ter? Como isso pode ser um prazer na vida dequele cidadão? E na maioria dos casos, a vítima não consegue se defender e também evita contar para seus pais por vergonha de tudo o que está acontecendo. Por isso deixo aqui um alerta para todos os pais: se seu filho participa de redes sociais ou tem celular, acompanhe o que seus filhos estão fazendo virtualmente, pois muitas vezes eles podem estar sendo vítimas de bullying e você nem imagina, e mais tarde esse trauma pode causar uma consequência ainda pior na vida dessas crianças. E você ainda pode descobrir algo pior do que seu filho ser uma vítima do bullying… Ele pode estar sendo o criminoso que comete o bullying, o que, no meu ponto de vista, merece tanto tratamento psicológico quanto a vítima, pois debochar dos defeitos do próximo não é uma coisa de ser humano normal.

Agora eu pergunto: porque no tempo em que nós éramos crianças, apelidar o colega que tinha a orelha um pouco maior de dumbo, ou a amiguinha que era um pouco mais cheinha de baleia não era crime e hoje em dia isso é considerado um crime tão grave que até nome já tem? Na minha opinião isso mudou à partir do momento em que o mundo passou a ter um padrão de beleza, e que todas as pessoas que não se encaixam nesse padrão por algum motivo, acabam sendo alvo de deboche e agressão. E é ainda mais grave na era da internet em que vivemos, onde uma palavra usada para apelidar uma pessoa alcança tantas outras que nem ao menos conhecem a vítima do apelido. Mas agora o bullying já existe e não há nada que possamos fazer, a não ser cuidar dos nosso filhos. E se você notar um comportamento diferente nos seus filhos, procure saber o que está acontecendo. Se mostre amiga do seus filhos e se faça uma pessoa em quem eles podem confiar para contar tudo o que está acontecendo com eles. Não é tarefa fácil, mas é extremamente necessário se queremos manter nossos filhos saudáveis e longe das ofensas.

Existe um filme chamado Bullying Virtual que retrata muito bem como esse tipo de crime procede nas redes sociais. Achei esse filme completo e dublado no YouTube e vou deixar o link aqui para quem se interessar em assistir.

Esse assunto é muito sério e merece atenção!

Fiquem com Deus e até a próxima.

Xoxo 😉

Christine Bueno

Christine

One Comment

  1.  

    Parabens pela matéria infelismente , nem sempre estamos tão atento aos nossos filhos ( por Mai’s que achamos que sim ) . Devemos Prestar atençao até naquilo que não parece importante , uma criança hj tem acesso a muitas coisas que antigamente nao tinhamos . E infelismente muitas usam essa modernidade para bullying , achando que ninguem esta vendo . Cuidado o Seu filho pode esta sendo uma vitima . Não custa nada ficar em alerta . A melhor maneira de começar é Prestar um pouco mais de atençao nos nossos filhos e mostrar pr eles que em vc ele pode confiar . Seja amigo do Seu filho STOP BULLYING !!!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *